Sintomas

Os primeiros sinais que aparecem quando se sofre um AVC são muito repentinos. Como cada área do cérebro coordena determinada função do organismo, os sintomas provocados pelo AVC são muito variáveis. Veja os principais:

  • Alteração ou dificuldades na fala: em alguns casos, o indivíduo não consegue nomear objetos e coisas. Pode até pensar e saber o que é, mas sente dificuldade para associar as palavras com o significado. Também surge a dificuldade para articular as palavras e pronunciá-las.
  • Coma: um sinal da gravidade do AVC é a redução do nível de consciência, às vezes, ao ponto de se entrar em coma. A perda da consciência costuma ser um sintoma de um AVC extenso ou hemorrágico.
  • Confusão mental: o paciente pode se sentir desorientado e aparentar perdido no tempo e no espaço. Estas alterações são mais comuns em pequenos AVCs em idosos. Múltiplos pequenos AVCs podem levar à demência.
  • Crise convulsiva: são abalos motores generalizados associados à perda da consciência. Pode ser um dos sintomas ou uma sequela do AVC.
  • Dificuldade para caminhar: podem ocorrer desequilíbrios por diminuição da força nas pernas ou por alterações na coordenação motora. Há casos em que o AVC pode causar tonturas, fazendo com que a pessoa não consiga andar.
  • Fraqueza nos membros: pode acometer braços, pernas ou um braço e uma perna em apenas de um lado do corpo. A perda de força motora pode variar desde uma fraqueza muito suave até a paralisia total. Ela costuma surgir rapidamente, todavia, pode se iniciar apenas com formigamento e leve fraqueza, evoluindo para franca perda de força após algumas horas.
  • Paralisia facial unilateral: o desvio da boca em direção contrária ao lado paralisado é o sinal mais comum e perceptível. No AVC, a paralisia costuma preservar a metade superior da face, sendo o paciente capaz de franzir a testa e levantar as sobrancelhas.

Outros fatores de risco para o AVC são:

  • Aumento da pressão intracraniana
  • Dor de cabeça repentina
  • Edema cerebral
  • Náuseas e vômitos