Prevenção

Muitos fatores de risco contribuem para o aparecimento do AVC. Alguns não podem ser modificados, como a idade, a raça, ou até mesmo a genética. Algumas medidas, entretanto, podem ser adotadas no dia a dia para evitar o risco de acidente vascular cerebral:

  • Alimentação: adote uma dieta equilibrada, reduzindo a quantidade de açúcar, gordura, sal e bebidas alcoólicas.
  • Atividade física: exercícios ajudam no controle do peso corporal, na saúde do coração e na redução do risco de diabetes, hipertensão arterial e formação de coágulos sanguíneos — condições que podem levar ao derrame.
  • Controle a hipertensão: o tratamento da pressão alta, por meio de medicamentos, dieta e atividade física, diminui em 90% o risco de derrames.
  • Controle o peso corporal: a obesidade e o sobrepeso podem desencadear hipertensão e diabetes. Quem está acima do peso tem maior probabilidade de sofrer um AVC.
  • Controle o colesterol: alimente-se melhor e evite as gorduras saturadas para controlar o colesterol ruim (LDL) no organismo. Procure manter abaixo de 200 o índice do colesterol total. Às vezes, só se consegue esse equilíbrio com medicamentos.
  • Controle o nível de açúcar no sangue: diabéticos exigem tratamento e precisam de acompanhamento médico permanente. Pessoas com glicemia normal raramente têm derrames.
  • Controle o estresse: procure distrair-se para reduzir o nível de estresse. Para isso, invista no lazer e nas horas vagas saia com amigos, leia bons livros, vá ao cinema ou a parques.
  • Não fume: está comprovado que o cigarro é um fator de alto risco para acidentes vasculares.
  • Saúde cardíaca em dia: doenças cardíacas estão associadas ao AVC. Faça check-ups anuais e fique atento aos fatores de risco.