Diagnóstico

O primeiro diagnóstico de acidente vascular cerebral é feito com base nos sintomas e sinais. Qualquer déficit neurológico súbito pode ser um AVC. Entretanto, o diagnóstico adicional será realizado no hospital com o uso de radiologia e tomografia computadorizada, para confirmar o problema de saúde. Outros exames também podem ser solicitados, como:

  • Arteriografia: permite uma visão das artérias do cérebro que normalmente os exames de raio-X não enxergam. Nesse exame, o médico insere um pequeno cateter pela virilha e o conduz até artérias maiores, como a carótida. Então, injeta-se um corante que permite a visualização de diversos vasos pelo raio-X.
  • Exame de sangue: detecta as causas do AVC, como fatores de coagulação ou presença de fatores de risco como diabetes ou colesterol alto.
  • Radiografia cerebral: por meio desse exame é possível ver a artéria afetada, com o desaparecimento dos ramos de vascularização do cérebro devido à isquemia. A radiografia cerebral permite confirmar o diagnóstico do acidente vascular, além de mostrar a localização da origem do acidente vascular cerebral.
  • Tomografia cerebral: especifica o tipo de acidente vascular cerebral ou uma hemorragia cerebral.

Exames complementares:  eletrocardiograma, ecocardiograma, ultrassom Doppler de carótidas, Doppler transcraniano e exames de laboratório ajudam a identificar a causa do AVC e a iniciar tratamento adequado mais precocemente. Tais exames são frequentemente realizados nas primeiras 48 horas após o acidente vascular cerebral.