Fatores de risco

É possível identificar alguns fatores de risco para incontinência urinária. Conheça e evite-os:

  • BEXIGA HIPERATIVA: este termo é utilizado para pessoas que têm desejo súbito de urinar e dificuldade para controlar o xixi. São mais propensas a ter a incontinência urinária de urgência.
  • CONSEQUÊNCIA DE CIRURGIAS: um dos tratamentos de tumores na próstata é a prostatectomia radical (remoção total da próstata). Tal cirurgia pode acarretar sequelas, como impotência sexual e incontinência urinária.
  • CONSTIPAÇÃO CONSTANTE: a constipação pode influenciar de maneira negativa o funcionamento da bexiga. Isso porque o intestino e a bexiga compartilham as mesmas conexões na medula espinhal.
  • DIABETES MELLITUS: a doença pode prejudicar o funcionamento dos nervos da bexiga devido ao acúmulo de sorbitol (que deriva do metabolismo da glicose).
  • DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO: o sistema nervoso controla o funcionamento de diversos órgãos, entre eles a bexiga. Quando há lesão na medula, a pessoa pode perder a capacidade de sentir a bexiga cheia.
  • IDADE: a probabilidade de ter incontinência aumenta com a idade. Em cada 10 homens mais velhos, de 1 a 3 relatam ter incontinência urinária.
  • INFECÇÃO URINÁRIA: também conhecida como cistite, é possível que agrave a perda involuntária de urina. O tratamento pode melhorar ou curar a incontinência urinária
  • INSUFICIÊNCIA CARDÍACA: gera retenção de líquidos durante o dia, causando inchaços nas extremidades do corpo. Ao deitar, esses líquidos são reabsorvidos e filtrados pelos rins, o que aumenta a necessidade de levantar à noite para urinar.
  • FRAQUEZA DE MÚSCULOS DA REGIÃO PÉLVICA E IDADE AVANÇADA: os músculos da região pélvica ajudam a manter a continência urinária. Geralmente, os idosos sofrem o enfraquecimento dessa região, o que pode causar perda urinária e urgência miccional.
  • MEDICAMENTOS: alguns medicamentos podem dificultar o esvaziamento da bexiga. Sendo assim, há retenção urinária crônica, podendo ocorrer a IU por transbordamento, causando gotejamento contínuo. Esse tipo de incontinência é mais comum em homens que sofrem de aumento da próstata e sentem dificuldade para esvaziar a bexiga.
  • OBESIDADE: pessoas obesas geralmente têm o aumento da pressão intra-abdominal, podendo comprimir a bexiga e outros órgãos pélvicos. A perda de 5% do peso melhora a IU.
  • TABAGISMO: o uso de tabaco pode causar doença pulmonar obstrutiva crônica, ocasionando tosses fortes. Esse sintoma pode piorar a incontinência urinária.