Tratamento

O tratamento da hipercolesterolemia familiar deve incluir medicamentos e mudanças no estilo de vida.

Controle com mudança de hábitos

A opção de um estilo de vida mais saudável na alimentação e com prática de atividade física ajuda a controlar o colesterol. Estima-se que uma orientação nutricional possibilita redução de 10 a 15% nos níveis. Com uma mudança profunda é possível diminuir até 30% ou mais no LDL.

É importante:

>> Reduzir a ingestão de gorduras saturadas e gorduras trans.

>> Limitar o consumo diário de colesterol a menos que 200 mg/dia.

>> Aumentar o consumo de gorduras insaturadas (poli e monoinstaruradas)

>> Incluir fitoesteróis na dieta – eles reduzem em 10% os níveis de LDL.

Medicamentos

Nos casos mais graves é preciso utilizar medicamentos. As reduções obtidas apenas com mudanças de hábitos são insuficientes para quem tem um índice muito alto, chegando a 300, 400, 500 de LDL.

Os remédios são combinados para atuar em diferentes pontos, como medicamento para bloquear a absorção do colesterol e outro para melhorar o funcionamento dos receptores. Deve ser usado por toda a vida sem interrupções.

Cuidado:

Mais do que tratamento, a HF exige acompanhamento constante. Se a pessoa abandona o tratamento ou não sabe que tem a doença, com a exposição do organismo a níveis altos, o colesterol vai se infiltrando nas paredes dos vasos, que inflamam, podendo causar coagulação, que leva ao infarto. 

Dica:

Quanto mais tempo você mantém o nível do colesterol baixo, maior o benefício e redução do risco de ataques cardíacos e infartos. Se a pessoa reduz o nível de colesterol a um índice médio por pelo menos um ano, diminui em 11% o risco. Com seis anos de tratamento, a diminuição pode chegar a 50%. Quanto maior a redução do LDL, maior o benefício.

Validação Científica

André Árpád Faludi

(creditação/mini cv)

Chefe da Seção  Médica de Dislipidemias do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia

Doutor em Medicina pela FMUSP

Presidente do Departamento de Aterosclerose da SBC – biênio 2016-17