II Fórum Ser Homem no Brasil

O Instituto Lado a Lado pela Vida realiza no dia 7 de novembro de 2016 o II Fórum Ser Homem no Brasil – Um novo olhar sobre a Saúde, Acesso e Tratamento ao Homem com Câncer, em Brasília. O evento faz parte das ações do Núcleo de Advocacy do Instituto Lado a Lado pela Vida onde um dos temas trabalhados é a Saúde do Homem.

O Fórum tem o apoio do Senado Federal e vai reunir profissionais de saúde, parlamentares, representantes do poder público, representantes do Ministério da Saúde, pacientes e a população para debater a detecção precoce, novos tratamentos para o combate ao câncer de próstata, acesso do paciente ao sistema de saúde, os casos de câncer de próstata metastático que continuam aumentando tanto no sistema público de saúde, quanto no privado, como reduzir o prazo de revisão para a incorporação de novas tecnologias e novas drogas para o câncer de próstata, dentre outros temas.

Sobre a Saúde do Homem : este ano acontece a segunda edição do Fórum Ser Homem no Brasil, mas o Instituto Lado a Lado pela Vida já vem trabalhando este tema há bastante tempo, desde a criação da Campanha Novembro Azul, em 2011.

A campanha é um movimento nacional, reconhecida pelo Congresso Nacional e pela Coordenação de Saúde do Homem/Ministério da Saúde, como uma ação importantíssima para a orientação dos homens brasileiros acerca do câncer de próstata e dos demais tumores masculinos, como os de pênis e testículo.

E para fazer um trabalho que traga um novo olhar sobre a saúde do homem, no âmbito da detecção precoce do câncer de próstata, o acesso e o tratamento dos pacientes com os melhores medicamentos e tecnologias, o Instituto Lado a Lado pela Vida, por meio do trabalho de Advocay, realiza ações como fóruns, painéis e ações de engajamento na esfera governamental para promover o debate e a ampla discussão acerca destes importantes temas.

Em 2015, o I Fórum Ser Homem foi realizado dentro do 2º Congresso Todos Juntos Contra o Câncer (TJCC) e teve como foco de discussão, o rastreamento da doença e os cenários de tratamento dentro dos sistemas público e privado de saúde.

Já no 2º TJCC, realizado em setembro de 2016, o foco do painel que abordou a saúde do homem se concentrou no impacto do câncer de próstata na sexualidade masculina. Além destes eventos que foram importantes para trazer o tema para o debate junto ao Ministério da Saúde, pacientes, profissionais da saúde, indústria farmacêutica e a sociedade civil, reuniões para criar uma agenda estratégica vem sendo realizada desde 2014.

Todos os assuntos debatidos nestas reuniões, nos painéis e no fórum do dia 7 de novembro serão priorizados nesta agenda estratégica e finalizados em um manifesto para engajar todos os setores envolvidos direta e indiretamente na saúde do homem no Brasil. O objetivo principal deste engajamento é a construção em conjunto de uma linha de cuidados para a saúde que atenda as reais necessidades dos homens brasileiros.

 

Galeria de Imagens

II Fórum de Doenças Cardiovasculares

Mudar o cenário em um país em que se perdem 350 mil vidas por ano por doenças cardiovasculares não é algo fácil. Com este desafio, o Instituto Lado a Lado pela Vida realiza neste mês em Brasília, no Senado Federal, o II Fórum Siga seu Coração: A redução dos fatores de risco para as doenças cardiovasculares no Brasil e as metas de controle – um compromisso de todos.

O coração da política do país será sede de um debate sobre temas que envolvem prevenção, acesso e tratamento dessas doenças, consideradas crônicas e que requerem cuidados e impactam nos custos da saúde pública, na sociedade e nas famílias durante toda a vida do paciente.

Um dos temas importantes será a questão de o controle das doenças autoadquiridas figurarem como prioridade nacional para diminuir o número de mortes por doenças cardiovasculares no país. Os hábitos e atitudes da população diante do tratamento e os comportamentos de risco também estarão em pauta.

O Instituto atuará com o levantamento desse tema, atual e de grande incidência no mundo, para tratar de assuntos mais específicos como o controle do colesterol e o paciente de alto risco para as doenças cardiovasculares.

Para ampliar o alcance do assunto, o Instituto também levará profissionais que atuam na linha de frente com os pacientes que chegam após sofrer algum evento cardiovascular, unindo diferentes percepções da área da saúde, entre médicos, representantes de associações e instituições da saúde e parlamentares.

Em conjunto, para formalizar as propostas discutidas, será criado um documento que servirá de base para as ações desenvolvidas em Advocacy: “Manifesto do Coração: Como trabalharmos juntos para as melhorias das políticas públicas voltadas para as doenças cardiovasculares, a prevenção, o custo-efetividade dos tratamentos, o impacto sócio-econômico dos sequelados”.

Galeria de Imagens

I Fórum Segurança Medicamentosa

O Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria estratégica com a CLAPBIO – Centro Latino Americano de Pesquisas em Biológicos, realiza no dia 29 de novembro o I Fórum Segurança Medicamentosa do Paciente no Brasil – Um novo olhar sobre a Farmacovigilância, em Brasília. O evento faz parte das ações do Núcleo de Advocacy do Instituto onde um dos temas trabalhados é a Segurança Medicamentosa do Paciente em tratamento das doenças crônicas.

No Brasil, as DCNTs são a causa de aproximadamente 74% das mortes*. São entendidas como doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs): diabetes, cardiovascular, doenças respiratórias e câncer.

O Fórum tem o apoio da Universidade de Brasília / Faculdade de Ciências da Saúde (UNB / FS), Universidade do Rio de Janeiro (UERJ), Associação Brasileira das Ligas Acadêmicas de Medicina (ABLAM), Academia Nacional de Farmácia e Conselho Regional de Farmácia do DF, para reunir profissionais da saúde, parlamentares, representantes do Ministério da Saúde, pacientes, associações de pacientes, agências regulatórias, entre outros players.

Os temas: “O cenário atual da segurança medicamentosa do paciente – sistema público e privado”; “Um novo olhar sobre a Farmacovigilância e sua importância no contexto da segurança medicamentosa do paciente”; “A grade curricular para a educação dos profissionais da saúde está em linha com as necessidades atuais em saúde para a segurança medicamentosa do paciente?” e a “A educação em saúde para os pacientes e os desafios para atingir esta enorme população. Como atuar para a informação chegar para todos?” servirão para fomentar o debate e ao final, construirmos propostas para um novo cenário de segurança medicamentosa para o paciente no Brasil.

Galeria de Imagens

I Workshop Câncer de Pele e Melanoma

O Brasil deve registrar 181 mil novos casos de câncer de pele em 2016, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Desse total de novos casos, 6 mil são de melanoma, o tipo mais agressivo da doença.

De acordo com dados do Observatório de Oncologia, até 2030 o maior número de mortes por melanoma deve ser na região Sul. Estimativa do INCA para 2016 demonstra taxa de 6,96 casos novos em homens e 6,50 em mulheres para 100 mil indivíduos na Região Sul. Mas outras áreas como Norte e Nordeste devem ter um número crescente de óbitos.

“O melanoma é causado principalmente pelo sol – são raros os casos de melanoma familiar. Os grupos de maior risco são pessoas com pele clara, olho claro ou que já têm outras lesões precursoras”, afirma a oncologista Carolina Kawamura Haddad, uma das participantes do evento.

Para debater este tema será realizada a Reunião Estratégica Câncer de Pele e Melanoma, uma iniciativa do Instituto Lado a Lado pela Vida.

Nesta quinta-feira, pacientes, médicos e especialistas em meio ambiente irão debater os principais dados da doença no país e discutir as perspectivas de mudança no cenário atual, que ainda é de muita desinformação, falta de acesso aos tratamentos e políticas de prevenção entre outros.

O resultado do debate, com contribuição dos participantes, será entregue às autoridades competentes.

Informações para público leigo e pacientes

Durante o encontro será também lançada a cartilha Guia de Conscientização de Câncer de Pele e Melanoma, que traz informações sobre os tipos de câncer de pele, os fatores de risco, como prevenir, sintomas e tratamentos entre outros dados.

“É importante empoderarmos o paciente, os médicos e todos os envolvidos no tema com informações estratégicas e um panorama da realidade para que juntos possamos ter um futuro com perspectivas melhores”, diz a presidente do Instituto, Marlene Oliveira.

I Workshop Câncer de Pulmão

O aumento nos números de câncer de pulmão – especialmente entre não fumantes – faz crescer a preocupação e a reflexão sobre as causas da doença além do tabagismo. Por isso, o Instituto Lado a Lado pela Vida promove no dia 31, Dia Mundial de Combate ao Fumo, o I Workshop Lado a Lado Câncer de Pulmão – Um novo olhar para as causas e possibilidades de tratamento.

“Temos estudos internacionais recentes que mostram o aumento do câncer de pulmão entre os não tabagistas”, alerta o médico oncologista titular e coordenador do Serviço de Segunda Opinião em Oncologia do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes Hospital São José - Beneficência Portuguesa de São Paulo. “Nos Estados Unidos, ficava na ordem de 8 a 9% dos casos. Agora chega a 20% de não fumantes com a doença”.

Além das questões que envolvem o fumante passivo e a poluição ambiental, o médico chama atenção para a exposição ao gás radônio (que se origina do decaimento do urânio), que pode estar presente dentro dos ambientes, inclusive em residências de áreas de risco. Dr. Marcelo Cruz avisa que “de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, o radônio é a segunda causa para o desenvolvimento de câncer do pulmão, só ficando atrás do cigarro – e é a primeira causa entre não-tabagistas”.

O médico alerta que conhecer esses e outros fatores é fundamental não só para criação de campanhas educacionais, mas para reverter o quadro. Para o Dr. Marcelo Cruz, é essencial entender o tamanho do problema nas diversas áreas do país, já que existem poucos estudos. “O primeiro passo é rastrear onde estão as áreas de risco e ver com autoridades o que fazer. Não queremos somente apontar o problema, mas criar soluções”.

Dermatologista Paula Sanchez responde!
Lado a Lado Entrevista: Dr. Elimar

Lado a Lado Entrevista: Dr. Elimar

Pesquisadora Mariana Veras explica!

Pesquisadora Mariana Veras explica!

Lado a Lado Entrevista: Dra. Carolina

Lado a Lado Entrevista: Dra. Carolina

Galeria de Imagens