O que é

É uma infecção no endocárdio, revestimento interno do coração. Ocorre quando bactérias ou germes de outras partes do corpo – como a boca – se espalham e chegam ao coração. Se não for tratada, a doença pode comprometer as válvulas cardíacas, trazendo complicações para o paciente.

A endocardite pode causar problemas graves como insuficiência cardíaca, embolia pulmonar, infarto do miocárdio, infecções em outras partes do corpo, acidente vascular cerebral ou insuficiência renal.

Sintomas

A endocardite pode ocorrer de maneira súbita ou com uma progressão lenta, dependendo do tipo de infecção que está causando a doença e das condições de saúde do paciente. Os sintomas mais comuns são:

  • Febre
  • Fadiga
  • Dor nos músculos
  • Sudorese noturna
  • Respiração curta
  • Palidez
  • Suor nos pés
  • Nódulos de Osler (pontos vermelhos dolorosos na pele dos dedos)

Fatores de Risco

O risco de desenvolver a doença de forma mais severa é maior em pessoas com problemas nas válvulas cardíacas, defeitos congênitos, histórico da doença, válvulas artificiais no coração, outros problemas cardíacos e cáries dentárias.

Prevenção

Cuidados com a higiene bucal são fundamentais para reduzir o risco de desenvolver a endocardite. Outra recomendação é evitar procedimentos que possam desencadear quadros infeciosos, como tatuagens e piercings, e uso de drogas injetáveis. Cortes na pele também devem ser tratados para impedir a infecção.

Tratamento

O tratamento da endocardite é feito com o uso de antibióticos fortes para combater a infecção. Em alguns casos, exige a internação do paciente durante quatro semanas e administração de medicação intravenosa. A duração vai depender da gravidade da infecção e da resposta do organismo. Dependendo de quanto a válvula cardíaca foi danificada, pode haver a necessidade de uma cirurgia local.