Especialistas afirmam que rastreio do câncer de mama deveria iniciar aos 30 anos

Especialistas afirmam que rastreio do câncer de mama deveria iniciar aos 30 anos

A idade mínima para o rastreamento do câncer de mama está sendo revista pela American College of Radiology (ACR) e a Society of Breast Imaging nos Estados Unidos. As entidades recomendam que mulheres a partir dos 30 anos façam uma avaliação de risco - como um teste genético - para determinar o tipo de rastreamento que devem realizar.

Até então, o rastreamento era indicado para mulheres acima de 40 anos. No Brasil, a faixa etária determinada pelo Ministério da Saúde para a realização anual da mamografia é de 50 a 69 anos.

A nova diretriz americana, anunciada recentemente, tem como objetivo encorajar a detecção precoce em mulheres jovens com alto risco de desenvolver a doença.

Apesar da incidência do câncer de mama ser relativamente baixa em mulheres jovens - aproximadamente 7% (EUA) - as taxas de sobrevivência são menores, de acordo com Instituto Americano de Saúde.

De acordo com a ACR mulheres com mutações genéticas nos genes BRCA1 e BRCA2 e afro-americanas fazem parte do grupo de risco que deve iniciar o rastreamento mais cedo.

No caso das mutações que predispõem ao câncer, especialistas afirmam que os testes genéticos são a melhor forma de detectá-las. A recomendação é conversar com um mastologista sobre seu histórico e suscetibilidade.

Fonte: New York Post