Perguntas frequentes

Qualquer homem pode desenvolver a DAEM?

Não. Apesar de todos sofrerem uma baixa na produção do hormônio masculino, nem todos têm sintomas ou sinais que alterem seu bem-estar. Segundo estudos, 20% dos homens terão uma queda na produção de testosterona após os 40 anos. 

Em que idade essa deficiência é mais comum?

A DAEM não acomete apenas uma pequena faixa etária. A média é de uma redução de 12% a cada década de vida. Por isso, o recomendado é manter seu urologista informado de qualquer alteração no seu organismo.

Quando devo pedir ao meu urologista para realizar os exames de checagem dos níveis de hormônio?

Ao apresentar qualquer um dos sintomas mencionados na lista o médico deverá fazer o pedido do exame para o diagnóstico correto. Para isso, é preciso manter o acompanhamento urológico frequente. 

Como é possível conviver com a DAEM sem prejudicar o desempenho na vida sexual?

Nem sempre os homens com baixo nível de testosterona apresentam todos os sinais e sintomas da DAEM. Mas alguns dos mais comuns e que podem trazer mais desconforto para sua vida pessoal são os da disfunção erétil. O urologista pode recomendar tratamentos específicos e realizar também a reposição hormonal para controlar os níveis do hormônio.  

A reposição hormonal é segura?

Apesar de ser segura e indicada para muitos homens, a reposição hormonal pode não combater a raiz do problema da baixa produção de testosterona e cada caso precisa ser avaliado pela equipe médica. Também não há comprovação científica de que a reposição hormonal cause câncer de próstata. 

A reposição hormonal deve ser destinada apenas para tratamento médico. Sua aplicação para fins de estética não é aprovada pela ANVISA.