Prevenção

 A prevenção de arritmias cardíacas está associada ao que a pessoa faz para evitar os fatores de risco. Para as doenças do coração, é indispensável o controle da pressão arterial, obesidade, manter uma alimentação saudável, além de incluir atividades físicas no dia a dia.

A visita regular ao cardiologista também é fundamental para uma detecção precoce de doenças pré-existentes. Assim, o paciente poderá ter atitudes específicas para os cuidados em relação às arritmias.

Nutrição

O consumo excessivo de café, chocolate, refrigerante e bebidas alcoólicas está diretamente ligado ao sistema nervoso e ao coração. Para quem já sofre de arritmia, o café pode gerar batimentos mais rápidos do órgão e, por isso, a bebida não é indicada para quem sofre da doença.<

Em alguns casos, é liberado o consumo de 1 copo (300 ml) por dia de cafeína. Para quem quer perder peso, a dica é não se basear pelas dietas da moda, que apontam efeitos milagrosos.

Alimentos que contém ômega 3 e 6 são indicados na prevenção de arritmia e podem ser inseridos no cardápio do dia a dia. Nozes, castanhas, milho, soja e peixes são alimentos que possuem essas propriedades.

Cada organismo responde de uma maneira a diversos tipos de tratamento e alimentação. Para isso, é indispensável o acompanhamento de um profissional da nutrição, que apontará a dieta ideal.

Atividades físicas

Exercícios físicos leves são indicados para quem tem arritmia cardíaca. Eles devem ser recomendados pelo médico e acompanhados por um preparador físico.

A prática também é recomendada para quem é sedentário e deseja prevenir a doença. A série de exercícios indicados para seu amigo, por exemplo, nem sempre será adequada para seu porte físico e condições clínicas.

Antes de começar a praticar qualquer tipo de exercício, é indispensável uma avaliação médica para a liberação e indicação do que deve ou não ser praticado.