O que é

Também conhecida como disritmia ou "palpitação", a arritmia cardíaca é uma alteração nos batimentos do coração. Se ele bater muito rápido, é chamado de taquicardia. Caso for muito lento, o nome dado é bradicardia. Normalmente, um coração sadio e descansado tem de 60 a 100 batidas por minuto.

Quem tem esse problema de saúde pode sentir um desconforto com a mudança na cadência ou ter a sensação de falta ou interrupção desses batimentos. A arritmia pode ser sentida no tórax, na garganta ou no pescoço.

As arritmias podem ser benignas, que causam apenas desconforto, ou malignas, com alto risco de morte súbita. A doença pode fazer com que o coração não consiga bombear sangue suficiente para suprir as necessidades do corpo, o que pode causar infarto.

A arritmia mais comum é a fibrilação atrial. Ela ocorre devido ao ritmo irregular proveniente dos átrios, que mandam estímulos de forma desorganizada e rápida. Como resultado, há um ritmo irregular, que pode fazer com que o sangue não circule como deveria, podendo gerar a formação de um trombo. O problema de saúde aumenta com o avançar a idade.

Como funciona o coração?

Para realizar a irrigação sanguínea, o coração precisa de energia que vem das artérias coronárias. Os batimentos ocorrem de forma organizada por meio de um impulso elétrico, fazendo com que a contração do músculo seja efetiva para bombear o sangue para o corpo e pulmões.

Qualquer alteração que cause um funcionamento elétrico inadequado do sistema de condução ocasiona as arritmias cardíacas.

Doenças associadas

A arritmia, quando não tratada, pode causar outras doenças, como angina, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca e derrame.

DIAGNÓSTICO

Ao ter algum sintoma de arritmia cardíaca, a pessoa deve procurar um cardiologista que avaliará o histórico clínico do paciente, além de solicitar exames capazes de auxiliar na identificação do problema, como:

  • Ecocardiograma: também conhecido como EcoDopplercardiograma, é uma ultrassonografia que mostra imagens do coração. O objetivo é verificar a estrutura e o funcionamento do órgão. Com o resultado, o médico consegue fazer a avaliação do fluxo sanguíneo. O procedimento não exige nenhum tipo de preparo para o paciente.
  • Eletrocardiograma: exame de rotina que integra o check-up cardiológico por meio de eletrodos colocados sob a pele no tórax, nos braços e nas pernas. É usado para que o médico possa avaliar o ritmo do coração do paciente e o número de batimentos por minuto. Em alguns casos, torna-se necessário realizá-lo durante os sintomas, pois o resultado pode ser normal mesmo em casos de pessoas com arritmia. O procedimento não exige nenhum tipo de preparo para o paciente.
  • Estudo eletrofisiológico: é um teste realizado por meio de cateteres que permite uma avaliação completa do sistema elétrico do coração. Também induz arritmias por meio de estimulação do coração, em pacientes com predisposição.
  • Holter 24 horas: importante para monitorar a atividade cardíaca por 24 horas. Durante esse período, o paciente mantém quatro eletrodos colados no tórax e conectados por meio de cabos ao gravador, que fica fixado na cintura. Durante o exame, o paciente não deve usar cremes na região do tórax.
  • Monitores de eventos: são aparelhos que gravam o eletrocardiograma por 7 a 15 dias e são acionados pelo próprio paciente, quando a crise aparece.
  • Teste ergométrico: é realizado para detectar arritmias que aparecem durante o esforço físico ou para observar o comportamento da arritmia durante o esforço. Sendo assim, coletam-se dados do paciente e depois colocam-se 10 eletrodos no tórax para registro do eletrocardiograma. A pessoa é colocada em uma esteira rolante e o exercício é realizado conforme o protocolo escolhido. A pressão arterial e traçados eletrocardiográficos são registrados antes do esforço e ao final de cada etapa.
  • Tilt-teste: indicado para pessoas que têm desmaios, tonturas, visão turva ou sudorese. O paciente é deitado em uma mesa que se inclina e a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos são monitorados. Se a frequência cardíaca ou a pressão apresentar queda, o exame é considerado positivo.