Mais da metade dos brasileiros desconhece sua taxa de colesterol, mostra pesquisa

Mais da metade dos brasileiros desconhece sua taxa de colesterol, mostra pesquisa

O colesterol, um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares, ainda é motivo de dúvidas para os brasileiros. É o que mostra a pesquisa "O que o Brasileiro Sabe sobre o Colesterol*" do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), com apoio da Sanofi. Divulgado hoje, o estudo revelou que, apesar de 89% dos entrevistados acreditarem que todas as pessoas, inclusive as crianças, precisam realizar exames, 67% da população não sabe sua atual taxa de colesterol.

A primeira dosagem, que segundo especialistas, deve ser feita ainda na infância (até os 10 anos), também tem sido realizada tardiamente pela maioria dos brasileiros. Dos entrevistados, 65% só realizou exames depois de adultos e outros 11% nunca mediu o colesterol na vida. Em relação ao controle do colesterol, 49% desconhece que se trata de um tratamento contínuo.

Diante deste cenário, o Instituto Lado a Lado Pela Vida, que realiza desde 2014  a campanha Setembro Vermelho - Siga Seu Coração , promovendo a conscientização sobre doenças cardiovasculares, lança um novo movimento para levar informação sobre um dos principais fatores de risco de eventos cardíacos: o colesterol. A  campanha 100 Colesterol  - Você Conhece, Você Controla trará para toda a população orientações específicas sobre o tema, tendo como foco o conhecimento sobre este risco, esclarecimentos sobre as metas propostas para o seu equilíbrio no organismo e orientações sobre como controlar.

Além da campanha digital, o Instituto planeja para os meses de agosto e setembro, ações presenciais em todo o Brasil, com o objetivo de ampliar o alerta à população. Segundo Marlene Oliveira, presidente do Instituto, a pesquisa inédita da SBC mostra a importância de esclarecer as pessoas sobre os perigos do colesterol alto. "Nosso objetivo é levar essa campanha também para o meio rural, traduzir essas informações a uma linguagem acessível", afirmou em sua apresentação.

Afinal, qual é a meta para o colesterol?

Com o mote "Conhecimento, Meta e Controle", a campanha 100 Colesterol quer entender e dar apoio à jornada do paciente cardiovascular. Uma das dúvidas quando se fala no assunto é a respeito dos valores ideais para as taxas de LDL - o chamado colesterol ruim, que se acumula nas paredes das artérias provocando a aterosclerose, que pode causar a obstrução dos vasos.

"Quanto mais baixo o LDL alcançado, menor o risco de eventos cardíacos", afirmou o médico e presidente do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), André Faludi. Ele explica que as metas são individuais e vão depender do quadro geral do paciente, ou seja, o histórico de doenças cardiovasculares e a existência de outros fatores de risco, como diabetes, hipertensão e obesidade. 

"Indivíduos que já tiveram uma doença cardiovascular, o LDL tem que ser menor que 50 mg/dl", afirmou o especialista. O mesmo é válido para pacientes com Hipercolesterolemia Familiar, colesterol alto genético que aumenta em 20 vezes as chances de infarto. Já pessoas com fatores de risco associados devem manter os níveis abaixo de 70 mg/dl, enquanto pacientes com risco intermediário e baixo devem apresentar valores menores que 100 mg/dl e 130 mg/dl, respectivamente.

De acordo com pesquisas, estima-se que atualmente 75% dos pacientes estejam com as metas acima do recomendado. Segundo o médico e diretor do Departamento de Aterosclerose da SBC, Henrique Bianco, 80% pacientes que já tiveram um evento cardíaco não atingiram a meta de LDL menor que 70 mg/dl, meta antiga para pacientes de alto risco.

Se algo não for feito a previsão é que em 2025 - prazo determinado pelas associações cardiológicas internacionais para reduzir as mortes por doenças do coração em 25% - o colesterol alto será a causa de mais de 2.6 milhões de mortes.

"Não é simples, não é fácil, mas é possível reduzir esses números", concluiu a presidente do Instituto no encerramento do evento, que também contou com a participação do professor do Departamento de Medicina da Duke University Medical Center, Renato Lopes, da cardiologista e diretora da Sanofi, Luciana Giangrande, e do vice-presidente do Departamento de Desenvolvimento Cardiovascular da Sanofi, Jay Edelberg.

Saiba mais sobre a campanha no  link .

* A pesquisa "O que o Brasileiro Sabe sobre o Colesterol" foi realizada nas cinco regiões brasileiras, com participação de 850 entrevistados acima dos 25 anos, sendo 53% deles mulheres e 47% homens. A pesquisa aconteceu entre 31 de janeiro a 6 de fevereiro de 2017, e contemplou as classes A (8%), B (41%) e C (51%).