Instituto Lado a Lado pela Vida participa de fórum sobre políticas públicas de atenção à saúde cardiovascular do idoso

Instituto Lado a Lado pela Vida participa de fórum sobre políticas públicas de atenção à saúde cardiovascular do idoso

O Envelhecimento e as Políticas Públicas de Atenção à Saúde na Alta Complexidade Cardiovascular é o tema do fórum que será realizado dia 7 de março, a partir das 9 horas, no Auditório Senador Antônio Carlos Magalhães, na Interlegis em Brasília-DF (Avenida N2 - Zona Cívico-Administrativa, Anexo E do Senado Federal). O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista ( SBHCI ) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular ( SBCCV ).

A presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira, será coordenadora do módulo de abertura, abordando o tema Papel do Legislativo na elaboração de políticas públicas para ampliar o acesso dos Idosos no Sistema de Saúde, que vai discutir o envelhecimento humano e as políticas de saúde na cardiologia. São também coordenadores do módulo Dr. Marcelo Cantarelli, Dr. Marcelo Queiroga, Dr. Honório Palma, Dr. Eduardo Nagib Gaui.

A abertura terá ainda a participação da senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), que é uma das homenageadas do evento, junto com os senadores Acir Gurgacz (PDT-RO) e Cássio Cunha Lima (PSDB - PB).

O fórum é voltado aos médicos, gestores da saúde e parlamentares. O evento é aberto ao público.

Programação

O primeiro módulo vai tratar das mudanças demográficas na população brasileira, as doenças cardiovasculares e seu impacto nas políticas de saúde, as terapias por cateterismo cardíaco e as novas tecnologias médicas nas doenças cardiovasculares.

Com o tema Aspectos jurídicos da assistência aos idosos no Brasil, o segundo módulo abordará a Constituição Federal e os Direitos dos Idosos, a participação do Brasil em Tratados Internacionais que conferem direitos aos idosos e racionamento de terapias de alta complexidade para idosos em Portugal.

O módulo três tem o tema A incorporação da terapia valvar aórtica por cateter no Brasil e vai abordar o custo efetividade e impacto orçamentário da incorporação do TAVI no Brasil e em Portugal, além do compartilhamento de risco com a indústria e outras modalidades de remuneração por performance como alternativa para viabilizar a incorporação de tecnologias de alto custo na saúde suplementar.

A estenose aórtica degenerativa uma doença comum em idosos será discutida no quarto módulo, questionando se essa é uma epidemia silenciosa. Estarão também em debate evidências para incorporação da terapia valvar por cateter para o tratamento da valvopatia aórtica, os resultados atuais do implante por cateter de bioprótese valvar aórtica e o estágio do desenvolvimento da tecnologia nacional de biopróteses implantáveis por cateter.

Para encerrar haverá a Campanha Jovens Coração, tratando da importância do voluntariado na Atenção aos Idosos.