Com homenagem, inspiração de Verónica Hughes se eterniza na memória dos funcionários da Bristol

Com homenagem, inspiração de Verónica Hughes se eterniza na memória dos funcionários da Bristol

"O paciente tem pressa". A frase ouvida no primeiro contato com Véronica Hughes marcou a memória e o coração de Gaetano Crupi, presidente da Bristol-Myers Squibb. Verónica falava por ela, que lutou 12 anos contra o câncer de pulmão, pela memória do seu pai, o escritor Eduardo Galeano, e sua mãe, que morreram dessa doença, e por milhares de outros pacientes que têm urgência de que as pesquisas e resultados sejam acelerados, que anseiam por novas tecnologias. Ela falava como porta voz na luta pelo controle do tabagismo.

Verónica sempre destacava a importância do otimismo e de lutar. Agora a história dessa guerreira, que nos deixou em fevereiro, ficará para sempre como inspiração aos funcionários da Bristol. Como homenagem, a empresa deu o nome de Verónica a uma sala de reuniões e promoveu um evento emocionante, que contou com vários parceiros, amigos de Verónica, seu esposo Marcelo Nepomuceno, com quem foi casada por 33 anos, e seu neto Theo. Estavam entre os presentes Marlene Oliveira, presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Luciana Holtz, presidente do Instituto Oncoguia, Fabiana Moraes, representante da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT), as médicas Andrea Ferrian e Camilla Yamada, que cuidaram da Verónica.

Emocionado, Marcelo falou da esposa, de sua presença ainda tão forte, e de sua sobrevida com qualidade.

"Para o Instituto Lado a Lado pela Vida, Verónica será sempre uma inspiração na luta pelo paciente de câncer de pulmão", destaca Marlene Oliveira. "Seguiremos levando informação de qualidade para que haja conscientização da importância da prevenção".

Com a homenagem, a luta de Verónica fica na memória dos funcionários e continua sendo inspiração para que sigam trabalhando e cumprindo a missão da empresa, de fazer com que cada vez mais pessoas tenham acesso aos produtos que poderão melhorar sua qualidade de vida.

Com essas lembranças, as palavras de Verónica continuam ecoando: "A gente sempre é meio guerreiro". Combativa na atuação contra o tabagismo, usava sua experiência para alertar, chamar a atenção, mudar a história: "Eu questiono o livre arbítrio quando estamos falando de drogas (cigarro). Uma pessoa drogada (fumante) como eu já fui, não sei até que ponto tem o livre arbítrio. Eu não era muito livre, não. Eu fumava até no chuveiro. Eu não sei uma pessoa que fuma no chuveiro, que qualidade de vida tem?".

Verónica era uma grande parceira do Instituto Lado a Lado pela Vida, do Oncoguia e da ACT. Participava de congressos, gravava vídeos e dava diversas entrevistas e depoimentos alertando sobre a doença e o tabagismo.

Falando sobre sua batalha, ela fazia questão de dizer: "É uma questão de otimismo".

Através de homenagens como essa a inspiração e o otimismo de Verónica continuam vivos em todos que com ela conviveram. "É uma forma de agradecer também à sua família, mostrando que Verónica Hughes estará sempre na nossa memória", diz o presidente da empresa. Graças ao olhar humanizado de Gaetano Crupi, sua memória se eterniza.

Histórias de pacientes

A iniciativa faz parte de um programa mundial da Bristol, o 'Por quem você está trabalhando', promovido desde 2014, que tem como objetivo reforçar a missão da empresa, que é trabalhar pelos pacientes. Dentro do programa são compartilhadas histórias de pacientes com os funcionários.

A filha do escritor Eduardo Galeano chegou até a Bristol através do seu médico, o oncologista Marcelo Cruz. Ela esteve algumas vezes na empresa, dando depoimentos e tirando fotos com os funcionários - sua imagem está em um dos banners.

Como outros pacientes, ela contou sua história para os funcionários poderem ver e sentir na prática o resultado do seu trabalho, de como a ação de cada um ajuda a melhorar a vida dos pacientes.