Triplicam casos de sarampo no mundo, segundo OMS

Triplicam casos de sarampo no mundo, segundo OMS

Redução da ocorrência nas Américas não significa que a situação esteja confortável, já que a doença havia sido eliminada de todos os países americanos em 2016. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil


 

Redação LAL - A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que o número de casos de sarampo no mundo nos seis primeiros meses de 2019 triplicaram em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo os relatórios preliminares da doença, as ocorrências notificadas no primeiro semestre desse ano são as mais elevadas desde 2006.

O aumento do número de casos vem ocorrendo desde 2016. Os dados preliminares globais da OMS apontam que houve uma redução de 15% nas ocorrências notificadas nas Américas entre janeiro e julho de 2019, quando comparado com o mesmo período de 2018. Mas tal redução não significa que a situação esteja confortável, já que a doença havia sido eliminada de todos os países americanos em 2016.

No dia 7 de agosto, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) atualizou os números da região. Segundo a atualização, a doença foi identificada em 14 países, entre 1 de janeiro e 27 de julho. Os países com mais casos registrados são Estados Unidos (1.172), Brasil (1.045) e Venezuela (417). Os Estados Unidos têm notificado sua maior contagem de sarampo em 25 anos.

O sarampo foi registrado na Argentina (5), Bahamas (1), Canadá (82), Chile (4), Colômbia (175), Costa Rica (10), Cuba (1), Curaçao (1), México (3), Peru (2) e Uruguai (9). A incidência atual da doença é 70% maior do que a registrada em 18 de junho, data em que a atualização epidemiológica anterior foi publicada.

A OPAS orienta que os países mantenham a cobertura vacinal da população-alvo em ao menos 95%, com duas doses da vacina, ações de vigilância epidemiológica e prestação de serviços de saúde.

Brasil

No Brasil, São Paulo é o estado com o maior número de casos registrados. Segundo a Agência Brasil, o Ministério da Saúde registrou, entre  5 de maio  e  3 de agosto , 907 casos confirmados de sarampo no Brasil, em três estados: São Paulo (901), Rio  de Janeiro  (5) e Bahia (1). Atualmente, 43 cidades nesses três estados se mantêm com surto ativo da doença, ou seja, com crescimento do número de casos confirmados.

Por aqui, crianças de 12 meses a menores de cinco anos de idade recebem uma dose da vacina aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral). Em casos de surto, uma dose deve ser dada em crianças de 6 até 11 meses. Já pessoas de cinco anos a 29 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente recebem duas doses da vacina tríplice viral. Adultos de 30 a 49 anos recebem uma dose da vacina tríplice viral.

No Mundo

Segundo a OMS, República Democrática do Congo, Madagascar e Ucrânia foram os países que notificaram o maior número de ocorrências. Com uma campanha nacional de vacinação, Madagascar já conseguiu diminuir os números da doença nos últimos três meses.

Angola, Camarões, Chade, Cazaquistão, Nigéria, Filipinas, Sudão do Sul, Sudão e Tailândia também registram surtos. Na Região Europeia da OMS, foram registrados cerca de 90 mil casos nos primeiros seis meses de 2019, superando a quantidade identificada em todo o ano de 2018 (84.462) - tornando-se já a maior desta década.

*Com informações da OPAS/OMS