Hábitos saudáveis aumentam expectativa de vida sem doenças crônicas

Hábitos saudáveis aumentam expectativa de vida sem doenças crônicas

Ganho entre as mulheres foi de quase 10 anos, em comparação com aquelas que não adotaram nenhum hábito saudável, e 7 anos entre os homens


Redação LAL - A expectativa de vida vem crescendo no mundo todo e a incidência de doenças crônicas, como diabetes, doenças cardiovasculares e o câncer, também aumenta conforme o número de idosos cresce. Mas uma pesquisa divulgada no periódico britânico BMJ , que avaliou dados de 111 mil pessoas durante duas décadas, mostrou que a adoção de hábitos saudáveis pode resultar em anos extras de vida sem doenças crônicas.

As estimativas de estudos anteriores apontam que pessoas com doenças crônicas vivem em média 7,5 a 20 anos a menos que pessoas saudáveis. A avaliação de dois bancos de dados, Nurses' Health Study (NHS) e Health Professions Follow-up Study (HPFS), foram realizadas usando questionários semelhantes sobre dieta, atividade física, tabagismo e outros fatores, como reposição hormonal pós-menopausa e reprodução. Outras informações como idade, etnia, uso de multivitaminas e aspirina e histórico familiar de diabetes, câncer ou infarto do miocárdio também foram coletadas.

Cinco critérios de estilo de vida de baixo risco foram considerados para dar uma pontuação para os participantes: dieta balanceada, tabagismo (nunca X alguma vez), atividade física moderada à intensa (30 minutos por dia pelo menos), baixo consumo de álcool (5 a 15 g/dia para mulher e 5 a 30g/dia para homem) e índice de massa corporal (IMC - 18,5 a 24,9).

Aos 50 anos de idade, as mulheres que adotaram quatro ou cinco critérios viveram em média 34 anos sem câncer, doença cardiovascular e diabetes, contra 31 anos dos homens. O ganho entre as mulheres foi de quase 10 anos, em comparação com aquelas que não adotaram nenhum hábito saudável e 7 anos entre os homens.

Especificamente sobre o câncer, a adoção de quatro ou cinco fatores de estilo de vida aumentou a expectativa de vida em 8,3 anos para as mulheres e 6 anos para os homens. Já sobre a doença cardiovascular, o ganho foi de 10 anos para as mulheres e 8,6 para os homens.

Para os cientistas responsáveis pelo estudo, um estilo de vida mais saudável está associado com um risco menor para câncer, doenças cardiovasculares e diabetes, além de aumentar a expectativa de vida e o número de anos vividos sem essas doenças. Porém, os autores reconhecem que o estudo foi observacional, realizado com informações sobre estilo de vida dados pelos participantes - em sua maioria pessoas brancas e profissionais da saúde-, e por isso os resultados não podem ser generalizados.