Aberta consulta pública para incorporação de terapia-alvo e imunoterapia para melanoma no SUS

Aberta consulta pública para incorporação de terapia-alvo e imunoterapia para melanoma no SUS

População pode participar de consulta aberta pela CONITEC até o dia 21 de janeiro; Instituto Lado a Lado avalia como positiva incorporação ao sistema público


Redação LAL - A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (CONITEC) abriu no dia 2 de janeiro a consulta pública MS-SCTIE nº 85/19 para a incorporação de novas opções terapêuticas para o tratamento em primeira linha do melanoma avançado não cirúrgico e metastático no Sistema Único de Saúde (SUS). A população pode enviar contribuições até o dia 21 de janeiro e auxiliar a Comissão na construção da recomendação final sobre o tema.

Leia também:  Por que participar de uma Consulta Pública na área da saúde?

A consulta avalia a inclusão dos tratamentos de terapia-alvo,  com os medicamentos vemurafenibe, dabrafenibe, cobimetinibe e trametinibe e a imunoterapia, com os medicamentos ipilimumabe, nivolumabe e pembrolizumabe. Hoje, o SUS oferece para os pacientes de câncer de pele melanoma o medicamento dacarbazina, conforme orientação da Diretriz Diagnóstica e Terapêutica (DDT) para Melanoma Cutâneo.

"O Instituto Lado a Lado pela Vida acredita que a incorporação destes novos tratamentos será uma grande conquista para a população. Incorporar a imunoterapia e a terapia-alvo no Sistema Único de Saúde para o tratamento do melanoma é o início de uma mudança significativa na vida dos pacientes oncológicos. Essa seria uma oportunidade para iniciarmos a oferecer a Medicina Personalizada no SUS e para a futura adoção dessas opções terapêuticas para outros tipos de cânceres mais incidentes no Brasil", afirma a presidente do Lado a Lado, Marlene Oliveira, destacando a importância da população participar da consulta pública.

O melanoma é considerado o tipo mais agressivo de câncer de pele, apesar de não estar entre os tumores malignos de pele com maior incidência no Brasil. Ele tem grande potencial de atingir outras regiões do corpo (metástases) e alta taxa de mortalidade. Os dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam 2.920 novos casos em homens e 3.340 novos casos em mulheres, por ano no Brasil.

A avaliação da Conitec comparou as opções aprovadas pela ANVISA, descritas acima, com a já disponível no sistema público de saúde. O Plenário recomendou, preliminarmente, a não incorporação das tecnologias, pois, apesar da comprovada eficácia dos tratamentos, estes não demonstraram ser custo efetivos, o que traria um impacto orçamentário inviável para o SUS.

Informe-se e participe da Consulta Pública:

Leia o Relatório Técnico da CONITEC

Leia o Dossiê da Bristol-Myers

Para enviar sua contribuição Técnico Científico, clique aqui

Para enviar sua experiência ou opinião, clique aqui

O que é uma Consulta Pública?

 

A sociedade tem uma importante ferramenta para participar das decisões sobre a incorporação de medicamentos e outras tecnologias no Sistema Único de Saúde (SUS). A consulta pública é um mecanismo de publicidade e transparência usado pela Administração Pública para obter informações, opiniões e críticas da sociedade a respeito de um tema.

Para novas incorporações no SUS, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) disponibiliza suas recomendações em consulta por um prazo de 20 dias. Em casos de urgência, esse prazo pode ser reduzido para 10 dias. Leia mais.