"Nós não vamos parar"

"Nós não vamos parar"

O Instituto Lado a Lado pela Vida promoveu nesta quinta-feira, dia 28/6, um contundente debate no seminário A Nova Cara do Câncer - Medicina Personalizada, na Assembleia Legislativa do Estado, em São Paulo.

Logo na abertura do evento a presidente do Instituto, Marlene Oliveira, perguntou se a chamada medicina personalizada, conceito com o qual a instituição já trabalha há algum tempo, é para todos ou somente uma minoria.

Para ela, o câncer está se tornando uma doença crônica, com a qual é possível se viver cada vez mais e com qualidade de vida. "É a nova cara do câncer", vaticinou Marlene, para quem é preciso trabalhar pelo acesso do maior número possível de pacientes às novas técnicas que o tratamento de precisão aporta na luta contra a doença que segundo a Organização Mundial da Saúde será a primeira causa de mortes no Brasil.

A nova cara do câncer apareceu várias vezes no debate dos oncologistas Marcelo Cruz, pesquisador da Divisão de Hematologia e Oncologia da Northwestern University, em Chicago (EUA); João Pedreira Duprat Neto, Doutor em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Fernando Costa Santini, titular do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês e do Instituto do Câncer do Estado; Pedro Aguiar Jr, Mestre em Oncologia pela Universidade Federal de São Paulo; e a patologista Katia Ramos Leite, professora da Faculdade de Medicina da USP e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Patologia.

Cada um deles abordou, a partir de diferentes enfoques, as mutações genéticas e metastáticas do câncer, o que leva a comunidade médica a manter a dedicação na pesquisa e desenvolvimento de novas técnicas de tratamento e rastreamento do câncer. Como expressou o Dr. Marcelo Cruz, "nós não vamos parar".

Antes do debate ele fez uma apresentação da medicina personalizada, ou de precisão, que baseia o tratamento no histórico genético do paciente, o que facilita ao médico receitar o medicamento mais apropriado para cada caso. Segundo Cruz, as novas técnicas são uma evolução para o que chama justamente de medicina de imprecisão, que até hoje ainda se pratica em muitos países, inclusive no Brasil, "na base da tentativa, erro".

"A medicina personalizada é mais do que tratamentos customizados e medicamentos - disse o oncologista -. Ela é sobre decisões também", arrematou, referindo-se a políticas públicas por parte do Estado, e novos hábitos de vida e medidas de prevenção na sociedade.

"É aí que entra o nosso trabalho", concluiu Marlene no fechamento do seminário. "O esforço das instituições que se dedicam à multiplicação de informações sobre saúde, prevenção de doenças, diagnóstico precoce e as alternativas de tratamentos, como fazemos no Lado a Lado pela Vida". Para a presidente do LAL, a tarefa "não é fácil, mas é possível".

Lado a Lado pela vida

 

Como podemos ajudá-lo?

icone informações

Informações sobre todas as fases do tratamento em um só lugar

icone nada de boatos

Nada de boatos ou "Fake News". Conteúdo validado por especialistas

icone espaço para compartilhar

Espaço para compartilhar vivências e conhecer histórias como a sua

Galeria de vídeos

Biológicos e Biossimilares Biológicos e Biossimilares